.

.

14 de ago de 2012

Reabastecimento em voo proporciona vantagem aos caças da FAB durante a Operação Ágata 5

Durante a operação Ágata 5, as aeronaves F-5M da FAB utilizam o recurso do reabastecimento em voo para permanecer mais tempo cumprindo suas missões de vigiar e eventualmente interceptar vôos ilícitos na área de operações. Os F-5M recebem até dois mil litros de combustível em pleno voo, podendo permanecer muito mais tempo em atividade operacional sem precisar pousar para reabastecer. “O reabastecimento em voo é uma missão vital para a Força Aérea”, afirma o Capitão Moisés Franklin da Costa, piloto da aeronave de reabastecimento.
Para realizar o procedimento, uma aeronave reabastecedora sobrevoa uma área programada até que os caças se aproximem. Com uma velocidade constante o avião “tanque” libera uma mangueira que se estende por cerca de 12 metros. Os caças se aproximam com uma velocidade um pouco menor, até que o probe (uma espécie de haste que fica do lado superior direito do piloto de caça) se conecte à mangueira. O combustível é transferido por essa conexão.
Apesar de ocorrer com frequência, o reabastecimento em voo é sempre uma operação que requer bastante habilidade e atenção dos pilotos. É a única situação em que o avião pode encostar em outro objeto durante o voo.
A Operação Ágata 5 conta com aeronaves KC-130 Hércules que são responsáveis pelo reabastecimento em voo das aeronaves de caça. Elas podem transferir até 20 mil litros de combustível para diversos caças num período de 4 horas de voo.

Fonte: Agência Força Aérea

Nenhum comentário:

Postar um comentário