.

.

30 de jul de 2012

Airbus adia A350 por mais três meses













A Airbus confirmou hoje o adiamento por mais três meses do início das entregas do novo A350, que é o modelo selecionado pela TAP para equipar no futuro a sua frota de longo curso.
Notícias avançadas hoje pela imprensa internacional dizem que este novo adiamento vai custar mais 124 milhões de euros ao fabricante europeu, que já contava com um ano de atraso em relação às previsões iniciais.
As notícias referem que o atraso também reflete a preocupação da Airbus em resolver todos os problemas antes do início da montagem final do novo avião, além de salientar que a rival Boeing teve um atraso de três anos na chegada ao mercado do seu B787 Dreamliner.
A imprensa também salienta que as ações da EADS, holding da Airbus, não sofreram com a notícia deste novo atraso no A350, porque os mercados acionistas estavam entusiasmados com os resultados do primeiro semestre e as perspectivas que foram anunciadas.
A EADS quase duplicou os resultados operacionais nos primeiros seis meses deste ano, para 735 milhões de euros, face a um aumento dos proveitos em 12%, para 13,53 mil milhões.
A empresa indicou ainda que prevê entregar este ano 580 aviões, mais dez do que previa anteriormente, vender entre 600 e 650, aumentar as receitas em 10%, quando antes previa +6%, e atingir um lucro operacional entre 2,5 mil milhões e 2,7 mil milhões de euros.
Um dos problemas que enfrenta é o das fissuras que surgiram nas asas do seu super-jumbo A380, com um preço de catálogo de 390 milhões de dólares, que poderá levar a uma suspensão das entregas no próximo ano.
O CEO da Airbus admitiu que é um “desafio” que se coloca ao fabricante europeu, que poderá levar a uma suspensão “temporária” das entregas, mas preferiu enfatizar que a empresa sabe como resolver o problema e que a solução está em curso.

As informações são"presstur".Sempre é citado o link de referência. O conteúdo é de Responsabilidade:Thiago Oliveira Ferraz

Nenhum comentário:

Postar um comentário