.

.

5 de out de 2011

Helicóptero cai em rio de Nova York


Aeronave caiu no Rio East logo após decolar, matando uma mulher; as outras quatro pessoas a bordo foram resgatadas com vida



Um helicóptero com cinco pessoas a bordo caiu no Rio East, na cidade de Nova York, na tarde desta terça-feira após decolar de uma base na margem do rio. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o acidente deixou ao menos dois feridos graves, que foram levados para hospitais.
O corpo de uma mulher que ficou desaparecida após o acidente foi retirado das águas pelas equipes de resgate posteriormente. Os trabalhos de busca envolveram mais de dez barcos e vários mergulhadores.
O piloto e outros três foram retirados da água logo após a queda por equipes de resgate. O helicóptero particular Bell 206, porém, submergiu totalmente na água turva, segundo o porta-voz da polícia Paul Browne. A aeronave caiu no rio perto da rua 34, no centro de Manhattan. Ainda não está claro como o acidente aconteceu.
oy Garnett e seu marido estavam na doca esperando para pegar a balsa do Rio East para o Brooklyn quando ouviram as hélices do helicóptero e o viram começar a decolar. Segundo ela, a aeronave fez um "movimento engraçado".
"Pensei: 'Isso é alguma atitude audaciosa?'", contou. "Mas obviamente estava fora de controle. Ele girou ao menos duas vezes e então caiu."
Segundo Joy, o helicóptero saiu 7,6 metros do chão antes de cair na água. Também de acordo com ela, as pessoas na doca começaram a jogar coletes salva-vidas e boias na água. "Não fez muito barulho. (O helicóptero) apenas caiu e afundou."
O Bell 206 Jet Ranger é um dos modelos de helicóptero mais populares do mundo, com o primeiro voo de um deles tendo acontecido em janeiro de 1966. Eles são leves e altamente manobráveis, o que os torna populares com redes de TV e companhias de transporte aéreo. Um aparelho novo custa entre US$ 700 mil e US$ 1,2 millhão.
Em 8 de agosto de 2009, um pequeno avião colidiu com um helicóptero no Rio East, deixando nove mortos, incluindo cinco turistas italianos. Uma equipe de segurança do governo descobriu que o controlador de tráfego aéreo, que estava em uma ligação pessoal, contribuiu para o acidente.
A Administração de Aviação Federal mudou suas regras de voo sobre os rios da cidade de Nova York depois da colisão. Pilotos devem informar sobre suas posições no rádio e obedecer um limite de velocidade de 259 km/h. Antes das mudanças, tais chamadas de rádio eram opcionais.
No início daquele ano, um Airbus 320 pousou no Rio Hudson, também em Nova York, depois de se chocar com pássaros e perder ambos motores após decolar do Aeroporto 

LaGuardia. O voo 1.549 da U.S. Airways tornou-se conhecido como Milagre no Avião do Hudson.

iG São Paulo | 04/10/2011 17:25 - Atualizada às 22:59


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário