.

.

24 de ago de 2011

"Cabine de Boeing brasileira"


"Cabine de Boeing brasileira"




Na cidade paulista de Itatiba, um grupo de entusiastas da aviação se uniram para desenvolver um projeto de construção de simuladores baseados em PCs . Com profissões e carreiras diferentes, eles compartilham uma paixão em comum, a aviação virtual. Todos pilotos virtuais há vários anos e alguns até com brevê, o grupo resolveu projetar e desenvolver uma cabine de comando igual à de um Boeing 737 NG, os mesmos usados no Brasil pela Gol Linhas Aéreas. Denominado Programa PCATD NG1 - Personal Computer Based Aviation Training Device, a plataforma roda em 3 computadores Pentium 4 2.2 com 512 RAM, vídeo MX 440 de 128 MB, com HD de 40 G e Windows XP-Pro. A base da interface usada para o desenvolvimento foi o FSBus (alemão) e Projeto Magenta (italiano), com visual do Flight Simulator 2004 da Microsoft com tela data show com projeção de aproximadamente 1,10 por 1,90 metro. A equipe é formada por sete pessoas que trabalharam durante quatro anos no desenvolvimento do projeto. Como os próprios projetistas dizem, trata-se na verdade de um home-cockpit com altíssimo nível profissional e de qualidade inquestionável. Durante estes quatro anos, vários sistemas foram testados e o grau de dificuldade e realismo foi aumentando com a finalização do projeto. A intenção agora é disponibilizar no mercado uma ferramenta inicial de treinamento para pilotos a um custo bem mais baixo do que o próprio setor oferece. Basta salientar que a intenção do grupo não é homologar este equipamento para treinamento real, como acontece com os grandes simuladores de vôo, mas sim, oferecer a escolas, companhias aéreas uma importante ferramenta para se conhecer mais de perto os processos do Boeing 737-600/700/800/900. A homologação do NG-1, bem como do Airbus A320 que está em desenvolvimento avançado, se tornaria inviável devido aos altos custos para adaptar certos equipamentos às normativas exigidas pelos órgãos reguladores. Totalmente feito no conceito glass cockpit e contando com o grande cérebro FMC, a cabine possui todos os instrumentos com as mesmas medidas do 737 NG, como manche, manetes de potência, painel de rádios de comunicação, EFIS, alavanca do trem de pouso, pedais, piloto automático, comando de acionamento de flaps, reverso e speed-brake, overhead panel, entre outros. Todas as peças foram fabricadas no Brasil, inclusive o próprio assento do piloto, idêntico ao verdadeiro. Quando for totalmente finalizado, o home-cockpit estará disponível com cabine frontal, assento do comandante, co-piloto, painel central e superior. O aluguel do espaço deverá ser oferecido a um preço bastante acessível, em torno de 70 reais a hora de vôo. No caso das companhias aéreas, há uma diferenciação na apresentação da cabine e também no treinamento. Os profissionais da área tem algo mais específico em termos de treinamento e informação do que o leigo que alugar o home-cockpit por pura diversão. A equipe lembra que quanto mais realístico for o treinamento, maior será o custo de utilização do simulador, mesmo assim, bem abaixo do valor praticado nos simuladores homologados de grande porte existentes no mercado da aviação. A BR Simulations está disponibilizando para à venda partes dos equipamentos utilizados no NG-1, como pedais, manche e manetes, ou até mesmo um kit completo. Os produtos poderão ser adquiridos no Brasil e a empresa quer se tornar líder mundial no fornecimento de peças para simuladores de vôo baseados em PCs. A equipe conta que todo o processo foi feito com muito esforço e dedicação, já que tudo foi feito sem visitar uma única cabine, apesar das varias tentativas de contato com as empresas aéreas. Para surpresa do próprio grupo, depois da apresentação do NG-1, pilotos, engenheiros e mecânicos ficaram surpresos com o resultado final. Eles construíram tudo baseando-se apenas em fotos divulgadas na internet. O home-cockpit está orçado em torno de 60 mil reais (painel frontal/central e overhead) e segundo seus projetistas, já foram vendidas uma unidade para um piloto virtual e outra para uma escola de aviação no interior do Estado de São Paulo. Além do Airbus A320, que é o próximo a entrar em funcionamento ainda neste ano, a equipe planeja lançar outros modelos, como o do Sêneca (que será montado na própria fuselagem de um avião fora de operação). A equipe já foi consultada para criar também um simulador de helicóptero. Existe estudo para a construção de um home-cockpit do Robinson R-22 e Bell 430, já que com o molde do NG-1, fica fácil criar simuladores de outras aeronaves, seja de asa fixa ou rotativa. A criação deste fidedigno painel de Boeing mostra que o já vasto universo da aviação virtual parece não ter fim. No exterior, isto já não é novidade. Na Europa e Estados Unidos, muitos grupos já deram a largada. Mais próximo de nós, precisamente na Argentina, uma equipe está usando um mock-up de 737-200 na plataforma para o Flight Simulator 2004. O sonho está mesmo se tornando realidade. Basta, talvez, dar asas à imaginação e pensar como serão os simuladores caseiros daqui a uns 10 anos. Com certeza um mundo virtual bem diferente daqueles de poucos anos atrás onde até a própria equipe da BR Simulations se contentava apenas em voar com Cessninha 172 num modesto computador AT486. Para saber mais sobre a equipe BR Simulations e informações mais detalhadas dos projetos em curso, acesse o site www.edapa.com.br
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário