.

.

21 de jul de 2011

PIPER PA31-350 NAVAJO





O PA-31 Navajo é um avião bimotor executivo de motores de pistão sem pressurização projetado e fabricado nos EUA pela Piper a partir da década de 60 e interrompida na década de 80, cuja proposta era a de oferecer ao potencial consumidor de médio poder aquisitivo (para os padrões americanos) uma alternativa mais acessível e econômica do que os aviões bimotores turbohélices da linha King Air, do fabricante norte-americano Beechcraft.
As muitas vantagens técnicas apresentadas pelos aviões de propulsão turbohélice incluem a altitude mais elevada de cruzeiro e a velocidade mais elevada de cruzeiro, entre outras. O único problema dos aviões turbohélice é o custo operacional bem mais alto, se comparado com aeronaves de tamanho similar com motores de pistão.
A configuração básica de assentos adotada no Piper PA-31 Navajo pode variar entre 06 (seis) e 08 (oito) assentos, sem a opção de toalete. A velocidade de cruzeiro ficou limitada na faixa de 194 Kt ou 350 Km/h. De qualquer forma, a proposta de uma aeronave executiva mais barata pela Piper foi muito bem aceita no mercado aeronáutico mundial, um sucesso de vendas.
Sua primeira motorização foi o motor Lycoming de 300 HP aspirado. Posteriormente, utilizando a vantagem dos Turbo compressor foram introduzidos os motores de 310 HP e versões com potência de 350 HP. Os Navajos pressurizados ganharam motores de 425 Hp.
Foram criadas mais duas versões do Navajo original que são o PA 31-350 ou Navajo Chieftain e o PA 31P ou P-Navajo (P de pressurizado). O primeiro, com motor de 350 HP ganhou mais uma seção na cabine de passageiros, uma porta de carga e outra para a tripulação que fica no lado esquerdo da cabine de tripulantes. O Navajo pressurizado, por sua vez, ganhou reforços na estrutura e uma motor de 425 HP.
Ainda hoje é possível encontrar no Brasil uma boa quantidade deste modelo de avião no mercado paralelo de aeronaves usadas, por preços bem acessíveis e em ótimo estado de conservação.
O Brasil, por intermédio da Embraer, produziu versões licenciadas do modelo Chieftain que foi carinhosamente apelidadas dentro do meio aeronáutico de "Navajão" e também uma versão adaptada para maior velocidade de cruzeiro, com motores turbohélice Pratt & Whitney PT6-A, que recebeu a nova denominação Embraer Carajá.


Ficha técnica
     Comprimento mínimo de pista necessário para decolagem: 1.000 metros (Lotado /    dias    quentes / tanques cheios);
    Capacidade: PA-31 - 05 (cinco) ou 07 (sete) passageiros;
    Capacidade: PA-31-350 - 09 (nove) passageiros;
    Velocidade de Cruzeiro: 166 Kt ou 300 km/h (300 HP) ou 194 kt ou 350 km/h (350 HP);
    Altitude de Cruzeiro (Aspirado): 15.000 pés ou 5.000 metros;
    Altitude de Cruzeiro (Turbo): 20.000 pés ou 6.500 metros;
    Motorização: Lycoming IO 540 Aspirado (300 HP)
    Motorização: Lycoming TIO 540 Turbo (350 HP)
    Motorização: Lycoming Tigo 541 E1A (425 HP);

Nenhum comentário:

Postar um comentário