.

.

28 de jul de 2012

Novo avião da Passaredo na rota de Barreiras













A Passaredo Linhas Aéreas passou a operar na rota Salvador-Barreiras-Brasília, e vice-versa, com um novo avião, o turboélice ATR 72-600, em substituição aos jatos ERJ-145, da Embraer. O novo avião saiu da fábrica da ATR, localizada em Toulouse, na França, há um mês. Com 70 lugares – 20 a mais que o jato da Embraer – o ATR 72-600 oferece maior conforto aos passageiros, com poltronas em couro, dispostas duas a duas, e classificação A pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) no quesito “Distância entre as Poltronas”.


O tempo de voo será maior. Enquanto um jato Embraer ERJ-45 tem velocidade de cruzeiro de 800 km/h, a do ATR é de  470 km/h. Uma viagem de Brasília a Barreiras, que levava uma hora no jato da Embraer, leva agora uma hora e trinta e cinco minutos (sai agora às 9h10 e chega às 10h45. Já a viagem de Barreiras a Brasília leva uma hora e vinte e cinco minutos (sai às 18h55 e chega às 20h20). Em compensação, o preço-médio da tarifa já está menor e deve baixar ainda mais, segundo a Passaredo, uma vez que o turboélice gasta menos combustível que o jato.


Este é o segundo ATR 72-600 recebido pela Passaredo. O primeiro chegou em maio último (opera na rota Ribeirão Preto – Guarulhos – Uberlândia), dando início à substituição da frota da empresa. O presidente da Passaredo, comandante José Luiz Felício, informou que a empresa encomendou à ATR 26 novos aviões até 2015, sendo 24 ATR 72-600 e dois ATR 72-500. São 16 opções firmes, isto é, já fechadas, e com a opção de mais dez.


O contrato foi assinado em 2011 e o investimento é de US$ 450 milhões. De acordo com o comandante, a chegada dos novos modelos representa um passo importante para a companhia.

 “O ATR 72-600 reduzirá os nossos custos, as tarifas cobradas e abrirá a possibilidade de operarmos em novos destinos”, disse. Atualmente, a companhia atende 26 destinos e em breve deverá anunciar novas operações.


Com a nova frota, a Passaredo, sediada em Ribeirão Preto, também ampliará em quatro vezes a capacidade no transporte de cargas, que se tornará “uma fonte maior de receita”, disse. O presidente da Passaredo disse que a empresa não pensa em realizar fusões, a exemplo da ocorrida entre Azul e Trip. “Queremos manter os acordos de compartilhamento de voos que temos, mas cada um com o seu mercado e com a sua empresa”, afirmou.


O novo avião foi apresentado a agentes de viagem e jornalistas na quinta-feira, 26. Os convidados fizeram um voo do Aeroporto de Barreiras ao Aeroporto Internacional de Salvador, com retorno no mesmo dia. Presente à apresentação, o CEO da ATR – uma associação entre a italiana Alenia Aermacchi (do grupo Finmeccanica) e a francesa EADS -, Filippo Bagnato, comemorou a expansão no mercado brasileiro.


“Estamos experimentando um sucesso extraordinário no Brasil, onde tivemos 50 ATRs encomendados nos últimos dois anos por companhias aéreas regionais. Este crescimento das operações regionais no Brasil está criando também oportunidades de negócios para empresas de leasing. As locações aumentam consideravelmente. Em 2011, o melhor ano comercial de ATR, as empresas de leasing representaram mais de 20% das vendas totais de aeronaves”, disse.


De acordo com ele, a ATR está bem estabelecida na América Latina e no Caribe, com mais de 130 aeronaves voando com as cores de 29 operadores. No Brasil operam atualmente 60 aeronaves. Nos próximos três anos, esse número deve atingir 100 aeronaves, informou Filippo Bagnato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário